MB VOCÊ

  • Compartilhe

Sistema de custo programado x financiamento bancário

28/08/2017 | por Tadeu Tremura


O pagamento à vista é, sem dúvidas, a melhor forma para qualquer tipo de compra, sobretudo para as compras de imóveis. Além de conseguirmos um poder de negociação bem mais forte, ficamos livres de dívidas, que, em muitos casos, se arrastam por anos. No entanto, nem sempre temos o poder de quitar toda a compra de uma só vez e optamos, geralmente, pelo financiamento através de bancos.

Porém existe uma outra opção além do financiamento bancário, conhecida como Sistema de Condomínio Fechado, que foi adaptado, aprimorado e desenvolvido para gerar maior segurança para o cliente, recebendo assim o nome de Sistema de Custo Programado. Esse é sistema que o MB Group tem utilizado em alguns de seus empreendimentos para facilitar a sua vida. Por isso resolvemos comparar as opções de cada sistema, e assim você decidir qual a opção mais indicada para você.

Financiamento Bancário

Como você deve saber, o financiamento bancário é um crédito concedido pelos bancos com a finalidade de custear a compra de imóveis de qualquer natureza, seja esse imóvel para fins residenciais, comerciais ou para qualquer outro tipo de uso. O que muda é apenas a linha de financiamento. Ou seja, dependendo da finalidade de uso, o financiamento tem prazos, juros e taxa diferentes, além de características específicas para cada perfil de público.

Atualmente, no mercado existem várias opções de financiamento, como o SFH - Sistema Financeiro de Habitação, que permite a compra de imóveis com valores máximos de R$ 750 mil (nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal) e 650 mil (para os demais estados). Devemos ressaltar que os financiamentos são limitados a um percentual do valor do imóvel. No caso do SFH é de até 90% para imóveis novos e 80% para imóveis usados.

Uma segunda opção é o SFI - Sistema Financeiro Imobiliário, que possibilita a compra de imóveis que tenham valores superiores aos do SFH, porém com condições que variam de um banco para outro banco. E essas condições são nada mais nada menos que os juros, as taxas e os seguros. Afinal, em todo e qualquer empréstimo contraído através de financiamento bancário são cobrados juros, que no fim das contas, somado ao valor inicial do imóvel, deixa o valor final do empreendimento muito mais caro. E há também nos contratos a incidência de taxas de administração e seguros habitacionais, que contribuem ainda mais para elevar o Custo Efetivo Total.

Sistema de Custo Programado

O Sistema de Custo Programado é um modo aprimorado de condomínio fechado, onde os próprios compradores administram uma associação que gerencia as obras que foram contratadas com uma construtora. Neste caso, o risco é menor, pois, caso alguma construtora não cumpra seu papel, basta a associação rescindir o contrato atual e acordar com uma nova construtora. Em outras palavras, o Sistema de Condomínio nada mais é do que pagar o valor correspondente a obra dentro do prazo delas. Diferente do Sistema de Financiamento, neste caso, não incide juros.

No caso do MB Group existem dois tipos de pagamentos ao adquirir um imóvel pelo Sistema de Custo Programado:

  • 1º = Ávos - funciona como uma entrada e seria, em uma explicação mais simples, o pagamento do terreno. O Ávos pode ser pago parcelado até o início da obra.
  • 2º = Obras - seria o pagamento do imóvel em si. Dentro desse espaço de tempo, entre o início das obras e a entrega do apartamento, é possível conciliar a forma de pagamento de forma customizada, de acordo com o que for mais apropriado para o cliente. Assim, ele pode optar por ter uma parcela mais baixa e com uma recorrência maior ou uma parcela mais alta com a recorrência menor. Pode escolher parcelas trimestrais, semestrais ou anuais e ainda optar por parcelas mensais com valor fixo.

Além dos diferenciais citados acima, o Sistema de Custo Programado proporciona uma nova forma de acompanhar a vida financeira do seu empreendimento, através de prestação de contas, movimentação bancárias e relatórios gráficos, assim como o acompanhamento visual apresentando a evolução física de cada empreendimento.

Ao comprar um imóvel, deve-se levar em consideração não apenas a taxa de juros que é aplicada ao financiamento, mas, também, a flexibilidade na negociação, que trás bem mais benefícios. Afinal, em caso de alguma eventualidade, é totalmente possível conversar com a construtora e encontrar a saída mais adequada para cada caso. Fato que dificilmente acontece com os bancos. Alguns casos são até impossíveis de se resolver. Então, quando a negociação é flexível e sem juros, ela dispensa comentários.

O fato é que a compra de um imóvel sempre existe a possibilidade de riscos, tanto no Sistema de Condomínio Fechado tradicional quanto no Financiamento Bancário, por isso, ressaltamos a importância de conhecer mais sobre o Sistema de Custo Programado do MB Group, que surge como opção segura e menos onerosa, é você cuidando do que é seu!

 Qualquer que seja sua escolha, sugerimos consultar seu advogado ou um corretor de imóveis credenciado para que você, cliente, possa tomar ciencia das caracteristicas de cada modelo e adotar as medidas preventivas necessárias.

Por Tadeu Tremura - www.mbcapital.com.br

Diretor Comercial MB Group

  • Compartilhe

Publicações relacionadas